Tire suas dúvidas sobre o futuro e as tendências para e-commerce

O aumento da confiança do brasileiro em realizar transações de valor no ambiente online vem resultando em um grande volume de vendas pela internet. Isso ocorre graças às novas tecnologias de segurança virtual. À modernização e à otimização das páginas e às estratégias de conversão. Nesse novo cenário, é hora de descobrir as tendências para e-commerce que vêm por aí.

Se você trabalha ou pretende atuar com vendas pela internet, este post pode te interessar bastante. Vamos abordar as novidades tecnológicas e metodológicas que devem ser utilizadas como estratégias e as tendências para e-commerce nos próximos anos e o que pode ajudar o seu negócio a dar um salto à frente da concorrência e se destacar no mercado.

Pronto para começar? Então, continue a leitura!

tendencias-para-ecommerceO que as pesquisas dizem?

No fechamento do ano de 2016, o faturamento global de vendas realizadas pelo comércio eletrônico atingiu a marca de US$ 1,915 trilhão. Com isso, especialistas fazem uma projeção que alcança a média de US$ 27 trilhões até o ano de 2020. Um salto gigantesco para os resultados atuais.

As vendas brasileiras realizadas pela internet ainda não representam uma fatia significativa dos resultados globais. Mas registram crescimentos constantes por anos. A tendência é que, por aqui, continue assim.

Segundo o relatório Webshoppers edição 35, elaborado pela Ebit, o mercado online brasileiro fechou o ano de 2016 com um volume de vendas na casa dos R$ 44,4 bilhões. Esse valor indica um aumento tímido em relação a 2015, que registrou R$ 41,3 bilhões.

No entanto, uma pesquisa realizada pela Forrester Research, em parceria com a E-commerce Brasil, revelou que o nosso país registrará crescimentos constantes. E exponenciais nos volumes de vendas online pelo menos até o ano de 2021. Até lá, espera-se que o público consumidor seja de aproximadamente 27 milhões de pessoas. E o faturamento, de mais de R$ 84 bilhões.

Por que é importante se antecipar?

Quando você descobre as oportunidades de forma antecipada, ganha tempo para planejar estratégias. Mais elaboradas e implementá-las antes da concorrência. Isso te dá uma grande vantagem competitiva.

Além disso, quem lança as novidades primeiro acaba se tornando referência no mercado. Deixando de seguir e passando a representar um modelo de sucesso a ser seguido, o que ajuda a desenvolver valor para a marca (branding).

Naturalmente, a sua loja virtual deve melhorar os níveis de engajamento do público. Aumentando consideravelmente a taxa de conversão. Além disso, você terá uma base de clientes mais do que fidelizados: eles se tornarão embaixadores da marca.

Quais são as maiores tendências para e-commerce?

Agora que você já sabe do potencial que a sua loja virtual tem e do espaço que há para crescer no e-commerce. É hora de descobrir quais serão as tendências para e-commerce e, o que o futuro reserva para o segmento. Muitas tendências que apresentaremos já estão sendo utilizadas com sucesso. Principalmente em países mais desenvolvidos (como Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha), mas ainda são novidades no Brasil.

Também falaremos sobre soluções que ainda não estão inseridas no comércio eletrônico. Mas, com as vantagens e os benefícios que proporcionam, devem ser adotadas em breve. Descubra, então, as principais tendências para e-commerce que devem impactar o mercado nos próximos anos:

Aumento do m-commerce (mobile commerce)

Muita gente utiliza dispositivos móveis para fazer pesquisas. Porém, na hora de concretizar uma compra, se sente mais confiante com um computador (desktop). Mas isso deve mudar com os recursos de intuitividade, que visam facilitar as operações.

Atualmente, o consumidor é 10 vezes menos propenso a realizar uma compra pelo celular. Por exemplo, do que por um computador. E os motivos são: sentimento de falta de segurança no ambiente online móvel e, também, os longos formulários que é preciso preencher. Entregando dados pessoais sigilosos, como o número do cartão de crédito.

Com o intuito de resolver esse problema, uma revolução acontecerá nos sistemas de pagamento online. As etapas atuais serão substituídas por um método mais simples e rápido. Possibilitando a concretização da compra em apenas uma página e com um ou dois cliques.

tendencias-para-ecommerce-compra

Otimização dos botões de compra

Muitas empresas já estão testando o uso de métodos de pagamento mais simples, por meio do próprio e-mail. Ou seja: o e-mail marketing deve ganhar um novo sentido nas estratégias de vendas. Uma vez que botões de compras instantâneas (com pagamento via PayPal, por exemplo) farão parte do CTA (Call To Action) das mensagens.

Como a taxa de abertura de e-mails gira em torno de 65 a 70% em celulares. Existe um grande potencial para aumentar a taxa de conversão por lá. Especialmente quando se simplifica o processo de compra. Essa técnica deve ganhar maior impacto entre os clientes fidelizados. Devido a um relacionamento de confiança já criado.

Menus de hambúrguer

Os menus de hambúrguer tornaram-se cada vez mais comuns em sites de companhias de diversos segmentos. Eles oferecem uma maneira mais conveniente de ocultar e revelar opções. Recursos e funcionalidades conforme o cliente deseje, proporcionando uma navegabilidade muito mais fácil e ágil.

O modelo pode ser identificado pelas 3 linhas horizontais que aparecem na parte superior direita ou esquerda da página. Quando o usuário toca ou clica nelas, as opções subjacentes são reveladas. Ao pressionar as barrinhas novamente, o menu volta a ficar escondido.

Essa opção é particularmente útil em telas menores, como as de tablets e celulares. Pois é simples, eficiente e economiza uma quantidade considerável de espaço em comparação com um menu exibido dentro de um quadro, por exemplo.

O menu de hambúrguer ainda é uma tendência forte para os próximos anos, visto que poucas lojas virtuais o utilizam. E, com as vantagens que proporciona ao usuário, deve se tornar obrigatório no mobile commerce.

Incorporação de GIFs

O GIF (Graphics Interchange Format) costumava ser o rei das animações incorporadas na web. Mas, agora, ele pode vir a fazer parte das estratégias de e-commerce (no que diz respeito à demonstração de produtos).

A ideia consiste em apresentar a mercadoria em uma imagem geralmente, uma fotografia. Com textos animados surgindo sobre ela ou alterando-a, para criar a sensação de movimento. Vale lembrar que, individualmente, os GIFs não são arquivos grandes.

Mas, quando há uma série deles sendo executados ao mesmo tempo e na mesma página, o carregamento do site fica comprometido. Afetando suas funcionalidades. Para resolver isso, designers gráficos estão buscando soluções que permitam intermediar o arquivo entre um GIF animado e uma imagem estática.

Autoadaptação

Os sites responsivos (que se adaptam às telas pequenas dos dispositivos móveis) não são mais nenhuma grande novidade. O que deve acontecer a partir de agora é que, muito em breve, as páginas serão capazes de se adaptar também ao usuário. Com base na idade e na acuidade visual, o endereço pode se reorganizar para incluir elementos maiores e mais destacados na tela.

E tem mais. Para as pessoas que estão próximas do usuário, seja do lado esquerdo ou direito, o site deve ter uma inteligência para deslocar alguns elementos para a lateral da tela. Facilitando a visão do acompanhante com quem você deseja compartilhar as informações.

Já para aqueles que são daltônicos, a página deve alterar a sua paleta de cores para compensar as diferenças visuais. Ou seja: tudo indica que a experiência de computação personalizada fará parte da inovação do e-commerce.

Sistema Omnichannel

Outro ponto que está na lista das tendências para e-commerce é o sistema Omnichannel. Isso é fácil de compreender, uma vez que os consumidores costumam usar 3 ou 4 dispositivos. Além de visitarem a loja física antes de realmente decidirem comprar o produto.

Atualmente, o público espera uma resposta instantânea. Dessa forma, qualquer atraso pode fazer com que ele desista e vá para a concorrência. Para resolver isso, a sincronização dos canais de vendas (online e físico) deve ser uma estratégia. Para fornecer uma experiência contínua e consistente ao usuário.

Apesar de os consumidores já esperarem por isso hoje em dia, a estratégia ainda é pouco utilizada no e-commerce brasileiro. E deve ganhar maior força nos próximos anos. A solução Omnichannel visa padronizar o atendimento oferecido, bem como as cores, os produtos e os serviços. Tornando as interações nos ambientes físico e online parecidas.

Ou seja: todos os canais de vendas por internet devem refletir a sua loja física com a marca. A fotografia e os preços, para criar uma identidade perceptível ao usuário. Isso contribui para que a experiência do cliente seja consistente durante todo o processo de compra.

tendencias-para-ecommerce-cartao

Realidade Aumentada (RA)

O sucesso recente do Pokémon Go provou como a RA (Realidade Aumentada) é atraente para os consumidores. E o potencial que a tecnologia tem para os negócios na web. Basicamente, ela funciona unindo os elementos do ambiente físico com os do mundo virtual.

Considerando a união da ideia do Pokémon Go com as técnicas de Omnichannel, podem ser espalhados vales com descontos virtuais. Em pontos estratégicos, nas localidades próximas, para gerar mais visitas às lojas físicas e um aumento nos níveis de engajamento com as marcas.

Outra vantagem dessa tecnologia é que, em breve, o usuário poderá escolher um móvel no site e projetá-lo. Virtualmente no ambiente físico, por exemplo. Assim, ele descobrirá quais cores, modelos ou tamanhos combinarão mais com o local. Além de poder mudar seu posicionamento no ambiente.

Realidade Virtual (RV)

Um pouco diferente da Realidade Aumentada, a RV (Realidade Virtual) simula um ambiente totalmente virtual. No qual o usuário é inserido para ter uma experiência vívida e enfrentar situações pré-programadas.Tudo ocorre com o auxílio de óculos 3D, fones de ouvido e controles de mão.

Com grandes investimentos realizados pela indústria do cinema e do entretenimento, não há dúvidas de que essa tecnologia continuará evoluindo. E representará uma solução viável para os problemas de demonstração de um produto em sua máxima totalidade.

Realidade Mista (RM)

A RM (Realidade Mista) é um híbrido das realidades, abrangendo a RA e a RV. Ela funciona permitindo que os mundos virtual e real se misturem. Com interações em tempo real com o usuário (para produzir novos ambientes e visualizações). Um exemplo dessa tecnologia é o projeto HoloLens, da Microsoft, que já está disponível para vendas.

As tecnologias de RA, RV e RM terão uma enorme influência sobre o marketing digital. Imagine, por exemplo, um e-commerce com vestiários virtuais. Onde você possa provar qualquer item (roupas, calçados ou equipamentos) no conforto de seu sofá.

Maiores graus de imersão devem contribuir para elevar os níveis de interação dos usuários com as marcas. E o resultado, consequentemente, será uma alta taxa de conversão em vendas.

Atuação global

Pequenas e médias empresas devem começar a pensar mais globalmente. Os sistemas logísticos estão se adequando às necessidades de globalização. E modernizando suas operações, tornando o atendimento online sem fronteiras, visando as tendências para e-commerce.

O Amazon Fulfillment é um exemplo disso. O programa visa atender às necessidades de expansão dos pequenos, médios e grandes comerciantes virtuais. Vendendo seus produtos para qualquer lugar do mundo por meio da Amazon e de outros canais de vendas.

É fornecido acesso a recursos logísticos de classe mundial, com entregas rápidas (em 2 dias) e gratuitas. Além disso, o atendimento ocorre no idioma local.

Uso de tecnologias analíticas e preditivas

Como gestor do negócio, você deve estar sempre pensando em soluções para otimizar a taxa de conversão, certo? Bem, pequenos ajustes no processo de compra podem aumentar facilmente as taxas de vendas em 2% e 3%. Pode não parecer muito agora, mas um crescimento de forma contínua logo representará algumas centenas de milhões de reais em faturamento.

Mas é importante lembrar que altos volumes de tráfego no site não garantem um maior número de vendas. Tudo dependerá do perfil desses visitantes. Se não forem relevantes, os usuários rapidamente abandonarão o site. Prejudicando as taxas de conversão e o rankeamento nas páginas de busca.

Uma solução que deve ser incorporada com força total no e-commerce é o Business Intelligence (BI). Trata-se de uma tecnologia complementar ao Big Data. Capaz de rastrear todos os dados sobre os consumidores e transformá-los em informações claras sobre o padrão de consumo individual.

Isso garante estratégias com maior foco no cliente, já que os produtos certos serão divulgados para as pessoas certas e no momento exato. Aumentando a projeção de vendas futuras. Como é possível ver, há algo em comum entre todas essas tendências para e-commerce: a tecnologia. E pode-se dizer, com convicção, que ela será a maior responsável por impulsionar o crescimento do comércio eletrônico nos próximos anos.

E você? Gostou das novidades? Então, assine a nossa newsletter e descubra muito mais sobre o universo do e-commerce!

Deixe seu comentário

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *