O guia avançado de marketing digital para e-commerce

As vendas on-line vêm crescendo a cada dia. Com a facilidade de encontrar os produtos, compará-los e escolher as melhores opções, os consumidores estão optando por fazer suas compras no meio digital, por isso marketing digital cada vez mais importantes para os lojistas.

As vendas on-line vêm crescendo a cada dia. Com a facilidade de encontrar os produtos, compará-los e escolher as melhores opções, os consumidores estão optando por fazer suas compras no meio digital, por isso marketing digital cada vez mais importantes para os lojistas.

Cientes disso, os empreendedores buscam técnicas e estratégias para atrair os potenciais clientes e mostrar seus diferenciais. Para driblar a forte concorrência, as estratégias do marketing digital são essenciais e, se você possui ou pretende empreender com um e-commerce, precisa conhecer e aplicá-las.

Neste post, vamos mostrar o que é o marketing digital, como ele se relaciona com o e-commerce e quais são os principais erros e acertos para que você aplique as estratégias no seu negócio e conquiste o tão sonhado sucesso. Confira:

O que é marketing digital

O marketing digital é um conjunto de estratégias que visam promover uma marca, um produto ou um serviço utilizando o meio on-line. Essas estratégias são diversas e podem apresentar diferentes resultados de acordo com a necessidade e o objetivo.

Esse tipo de publicidade pode ser feito sem grandes orçamentos, o que possibilita a utilização por pequenas, médias ou grandes empresas. Afinal, a internet já possui alta acessibilidade e apenas com um computador — ou até mesmo com um celular — é possível criar campanhas com resultados incríveis.

Uma grande diferença do marketing digital para os outros tipos é quanto ao foco do trabalho. Antes, o centro das atenções era o produto; agora, com o marketing digital, isso mudou. O foco está no cliente e nas suas necessidades. É preciso entender e conhecer o público-alvo, saber quais são seus problemas (muitas vezes nem o próprio público sabe ainda) e como você pode resolvê-los.

Marketing digital e e-commerce: qual é a relação

O e-commerce quebrou as barreiras físicas do mercado. Se antigamente você precisava enfrentar trânsito, perder tempo em filas enormes, sofrer com vendedores insistentes e, por muitas vezes, não encontrar os produtos buscados, com a internet esses processos foram otimizados.

Você pode, com extrema facilidade, encontrar o produto exato que precisa, comparar as ofertas de diferentes marcas e tomar a melhor decisão de compra, ganhando opções de pagamento e com a mesma segurança de troca ou de devolução de uma loja física.

Além disso, vender on-line tem um custo menor do que manter uma loja física (custos de aluguel do local, alto número de funcionários, despesas como água e luz, equipamentos e móveis para a loja, entre outros), o que possibilita oferecer descontos e ofertas exclusivas, o que agrada o consumidor e o incentiva a fazer novas compras.

Todas essas vantagens fizeram com que a venda on-line crescesse e se tornasse uma excelente opção no momento da compra. Porém, isso não pode ser confundido com facilidade. Se as vendas on-line vêm crescendo, a quantidade de lojas virtuais também. Então, a concorrência só está aumentando. Assim, para atrair os clientes é preciso se destacar.

Para isso, o marketing digital trouxe estratégias que ajudam a promover sua marca, atraindo potenciais clientes e aumentando as vendas. Para o e-commerce, o marketing digital é um meio de buscar maior lucratividade — e por isso ele é e tem que ser tratado como fundamental.

Um e-commerce que não se preocupa em colocar o seu site em destaque, em atender os clientes de forma eficiente — no momento certo e no local preferido por eles — e em não investir em conhecimento só será mais uma opção deixada de lado, em meio a tantas outras.

Os principais erros de marketing digital para e-commerce

Se o marketing digital apresenta diversas vantagens e oportunidades, alguns erros não podem ser cometidos de jeito nenhum. Para que você evite esses deslizes, vamos mostrá-los e explicá-los:

Não pesquisar as palavras-chave

As palavras-chave são os principais termos que ligam uma pesquisa em um site de busca até a sua página. Quando um consumidor deseja procurar um determinado produto na internet, ele geralmente utiliza os sites de busca, como o Google, para localizar as melhores opções.

Para fazer essa busca, ele digita um termo que considera adequado para definir o produto ou serviço buscado. O Google, então, procura entre milhões de sites aqueles que possuem o termo buscado em destaque (o Google utiliza várias técnicas de ranqueamento, que serão ainda mostradas neste guia).

Então, se você não se preocupa em saber quais são os principais termos que o seu público utiliza, seu site não aparecerá como uma das principais opções para os consumidores.

Para conhecer as melhores palavras-chave, você pode utilizar o Keyword Planner, uma ferramenta do Google que mostra, em tempo real, as palavras mais utilizadas. Ele mostra ainda a relação de concorrência entre as palavras, já que elas podem ser divididas em 2 categorias:

  • long tail: são as palavras-chave mais longas, sendo mais específicas e menos buscadas, mas com concorrência menor;
  • head tail: mais curtas, muito buscadas, mas com alta concorrência.

O ideal é mesclar os 2 tipos nos seus anúncios.

Não definir a sua persona

Persona é a personificação do seu cliente ideal. Ou seja, é definir as características que o seu cliente ideal possui para criar estratégias mais assertivas. Se você não define a sua persona, você não terá dados suficientes para traçar estratégias que realmente atinjam seu público-alvo de forma eficiente.

Imagine que você deseja oferecer um determinado produto, como uma revista voltada para assuntos como moda para adolescentes e curiosidades de famosos. Porém, você não definiu sua persona e não sabe quem são seus clientes ideais.

Então, no momento de produzir os conteúdos da revista, você criou os textos utilizando uma linguagem técnica e profissional. Você acha que esse tipo de linguagem vai atrair o público jovem, entre 10 e 15 anos, que poderia ser uma ótima base de clientes? Provavelmente não, concorda?

É muito importante definir a persona, suas características (idade, sexo, instrução, nível de conhecimento sobre o produto, profissão etc.), seus objetivos, seus problemas e as soluções que podem ser apresentadas.

Não investir em conteúdo

O público tem se tornado cada vez mais exigente. Não há mais espaço para as empresas que insistem em vendas forçadas, sem passar conhecimento aos consumidores. Por isso, se você não investe em conhecimento, você não terá a preferência dos potenciais clientes e fatalmente perderá diversas oportunidades de negócios.

Os atuais consumidores, quando precisam de uma determinada solução, utilizam a internet para entender o problema, pesquisar as formas de resolvê-lo e comparar as ofertas disponíveis. Então, uma empresa que fornece todo esse conteúdo ganha pontos com o público, ganhando credibilidade, visibilidade e tornando-se uma forte opção para o momento da compra.

Não gerar leads

Do que adianta criar estratégias para aumentar o tráfego no site, investindo em conteúdos, pesquisas de palavras-chave e outras técnicas, se você não está coletando dados desses visitantes para criar a possibilidade deles se tornarem seus clientes?

É isso que chamamos de leads: potenciais clientes. Quando um usuário visita o seu site, é interessante oferecer atrativos que sejam relevantes para ele. Um determinado produto, um conteúdo, uma descrição. Se ele entrou no seu site e permaneceu, algo deve ter chamado sua atenção. Essa é a sua oportunidade de tentar converter esse visitante em lead, obtendo informações, para, posteriormente, converter o lead em cliente.

Se sua empresa não tem essa preocupação, todo o trabalho de aumentar a visibilidade do site não terá um resultado tão expressivo. Por isso, busque dados e informações dos seus potenciais clientes.

Não utilizar e-mail marketing

Esse é um erro comum e terrível! Muitas empresas acreditam que a técnica de e-mail marketing é ultrapassada e pode fazer com que o potencial cliente se afaste da marca. Isso não é verdade.

Em 1º lugar, não estamos falando de enviar spam para sua lista de clientes. Estamos falando em enviar conteúdos, ofertas exclusivas e manter um contato próximo. Em 2º lugar, o e-mail marketing é uma das formas de marketing mais antigas e, mesmo assim, ainda é uma das mais eficientes.

Por isso, utilize essa ferramenta. O segredo do sucesso para essa estratégia do marketing digital é segmentar sua lista de contatos. Crie grupos de acordo com o interesse e nível de conhecimento sobre as soluções propostas. Assim, você conseguirá enviar conteúdos e ofertas certas, para as pessoas certas, no momento certo.

Não medir o desempenho do seu site

Se você não mede o desempenho do seu site e a efetividade das suas ações, como saber o que está trazendo bons resultados e o que não está? Você pode estar gastando muito tempo e alocando recursos em uma ação que não está trazendo resultado algum! Já pensou nisso?

Para que você não cometa esse erro, monitore e gerencie seu site. O Google Analytics é capaz de fornecer várias informações relevantes para que você analise as melhores práticas e otimize seus resultados.

É muito importante conhecer as principais métricas do seu e-commerce e monitorá-las.

As estratégias ideais de marketing digital para e-commerce

Já falamos o que é o marketing digital, sua relação com o e-commerce e os principais erros. Agora, é hora de mostrarmos as estratégias ideias que alavancarão o seu negócio.

Inbound marketing

Essa estratégia consiste em fornecer conteúdo relevante ao seu público, valorizando o relacionamento e investindo na qualificação dos leads, de forma a deixá-los prontos para uma compra.

O inbound marketing é uma excelente estratégia, pois cria um ambiente agradável ao potencial cliente. Diferentemente do outbound marketing, o inbound não é invasivo, como aqueles anúncios no meio de um telejornal ou de um programa com alta audiência.

Como o inbound trabalha fornecendo conteúdo e mantendo o foco do trabalho no cliente, essa estratégia acaba ajudando outros pontos, como o posicionamento do site nos resultados da busca orgânica.

Os blogs e os conteúdos ganham muitos pontos nesse ranqueamento e podem atrair um tráfego bastante alto, com um bom engajamento do público. Com essa estratégia, sua marca ganha credibilidade e pode se tornar uma referência no mercado.

E-mail marketing

Como falamos, o e-mail marketing é uma ferramenta essencial, que deve ser utilizada para aumentar as vendas.

Uma pesquisa da Serasa Experian revelou que, no Brasil, entre as estratégias de marketing digital, a que possui a maior taxa de conversão é o e-mail marketing, com 2,53%, seguida pelos canais de buscas, com 2,08% e as mídias sociais, com 1,18%. Por esse mesmo estudo, a taxa de conversão média dos e-commerces brasileiros é de 1,44%.

Para ter sucesso com essa estratégia, é preciso segmentar sua lista de contatos. Mas, para isso, você deve buscar os dados dos leads. Uma ótima opção é colocar no seu site um campo de cadastro. Assim, ao se cadastrar, o consumidor autoriza o envio de materiais, conteúdos e ofertas para o e-mail, informando seus dados.

Com os dados de contato e as informações relevantes sobre os leads, você então deve segmentar sua lista de e-mails, definindo grupos com características em comum. Uma boa forma de segmentar é pelo nível de conhecimento sobre as soluções propostas. Assim, você conseguirá enviar conteúdos relevantes para as pessoas certas.

Mídias sociais

As redes sociais se tornaram parte do nosso cotidiano. Cada vez mais elas se firmam como um canal não só para entretenimento, mas para realizar buscas de conhecimento, manter um bom relacionamento com clientes, entender melhor o mercado e o público-alvo, identificar oportunidades de negócio, impulsionar a visibilidade da sua marca e até vender seus produtos.

Porém, para usufruir de todas as vantagens que o Facebook, o Instagram, o LinkedIn, o Twitter, o YouTube e outras redes sociais oferecem, é preciso mais do que simplesmente ter um perfil ou uma página. É preciso estar presente, acompanhar, responder dúvidas, interagir com o público, postar conteúdos relevantes e com a frequência adequada. Só dessa forma você conseguirá alcançar todos os possíveis benefícios.

Lembre-se ainda que cada rede social tem sua particularidade. O Facebook, por exemplo, é ótimo para ganhar visibilidade, postar conteúdos, manter contato com clientes e identificar oportunidades no mercado, com postagens de texto, vídeos e imagens.

Já o Instagram é uma plataforma focada no visual. Para se destacar, é preciso investir na qualidade das imagens e dos vídeos. Lembrando que, para utilizar recurso de vídeo, tem que ser uma produção curta, que passe a mensagem de forma objetiva.

Já com o Twitter a comunicação é mais direta, por meio de textos com até 140 caracteres. A fluidez dessa plataforma é maior do que em outras redes. Por esse motivo, para ter uma boa presença no Twitter, é preciso postar com uma frequência alta.

SEO

Search Engine Optimization (SEO) significa “otimização para mecanismos de buscas” e consiste em um conjunto de estratégias para fazer com que o seu site apareça nas primeiras posições da busca orgânica.

Estar bem posicionado eleva muito a chance de um consumidor que busca uma determinada solução, visitar o seu site e tornar-se um possível cliente.

Para alcançar esse objetivo, é necessário um trabalho árduo — mas muito recompensado. Aplicar as técnicas de SEO no seu site vai trazer retornos a médio e a longo prazo, e, uma vez que suas ações tiverem sucesso, sua empresa ganhará tanta credibilidade que poderá se tornar uma referência no mercado.

Algumas técnicas consistem em:

  • criar conteúdos relevantes, de qualidade, que possuam as melhores palavras-chave para o público-alvo;
  • ter um bom SEO title, o título que aparece nas SERPs;
  • URLs amigáveis: quantos menos caracteres além da palavra-chave, melhor;
  • utilizar heading tags: são as hierarquias dentro do conteúdo do seu site;
  • usar link building: inserir links no seu site, indicando materiais relevantes ao visitante;
  • entre outras.

Links patrocinados

Se as técnicas de SEO estão voltadas para resultados a médio e a longo prazo, os links patrocinados permitem resultados a curto prazo.

Essa estratégia consiste em investir em anúncios pagos, colocando suas páginas nas primeiras posições da busca. Por exemplo: quando uma pesquisa é feita, o Google mostra, nas primeiras posições, os anúncios pagos e as páginas mais relevantes da busca orgânica.

Se o seu site ainda não tem tanta relevância para a busca orgânica, é interessante investir nos anúncios para ganhar visibilidade e atrair o seu público.

Uma boa dica é tomar essa estratégia em paralelo às técnicas de SEO. Assim, até que essas técnicas comecem a dar resultados, você patrocina alguns links. Quando sua página já estiver bem posicionada na busca orgânica, você pode interromper esse investimento e alocar os recursos em outra estratégia.

Site responsivo

Com o avanço da tecnologia, cada vez mais os consumidores estão acessando a internet pelos dispositivos móveis.

Para ficar atentas às mudanças e acompanhar as tendências, as empresas precisaram investir em sites responsivos, ou seja, que se adequem à tela dos dispositivos móveis. Dessa forma, a usabilidade de um site não é comprometida se o usuário acessa pelo celular, tablet ou outro aparelho.

3 estratégias de marketing digital que deram certo

Agora, vamos mostrar 3 casos de sucesso, nos quais empresas utilizaram as estratégias do marketing digital e alcançaram resultados incríveis.

1. Colgate

A Colgate, empresa mundialmente conhecida no mercado de cuidados pessoais, inovou e disponibilizou um canal de informações, o Centro de Información de Cuidado Bucal y Dental.

Trata-se de um site com diversas informações para consumidores que buscam tirar dúvidas e considerar soluções a respeito de cuidados pessoais. É um investimento claro em conhecimento, e a empresa tem colhido os frutos dessa estratégia, pois é uma referência no mercado.

2. Beldent

A Beldent, versão argentina da Trident, criou um interessante experimento no qual colocou, em um museu, diversos pares de gêmeos idênticos. Os irmãos estavam vestidos com o mesmo visual. Só havia uma simples diferença: um deles estava mascando um chiclete.

O público, então, deveria analisar cada par e responder perguntas, tendo que indicar o gêmeo que mais se adequava. As perguntas eram do tipo: qual dos é o policial mau? Qual dos dois chefes te demitiria se você pedisse um aumento? Qual dos dois chefes te daria o aumento?

O resultado foi que 78% do público escolheu as respostas positivas para o gêmeo que mascava chiclete. Ou seja, a marca quis passar a imagem de que mascar chiclete causa uma boa impressão pessoal e conseguiu!

Foi uma forma criativa de atrair o público, gerar engajamento e mostrar as características de seu produto.

3. CNA

Para fechar o nosso guia avançado de estratégias de marketing digital, reservamos o melhor caso para o final. A escola de idiomas CNA criou um programa simplesmente brilhante. Sua equipe identificou que seus alunos tinham a necessidade de praticar mais a língua estudada para melhorar a fluência.

Diante dessa necessidade, eles buscaram uma solução. Porém, eles encontraram mais do que isso. A milhares de quilômetros de distância, estavam outras pessoas, com outras necessidades, mas que tinham interesses em comum. Que tal unir essas pessoas?

O que o CNA fez foi conectar estudantes de língua estrangeira com aposentados em lares para idosos, de um país com a língua estudada. Assim, os estudantes ganharam a possibilidade de conversar com um estrangeiro, aperfeiçoando o idioma, e os idosos ganharam uma boa companhia, para compartilhar suas experiências e aprender coisas novas. Um belo exemplo, não acha?

Estratégias de marketing digital e o sucesso do seu e-commerce

Como vimos em nosso guia, o marketing digital possui diversas estratégias capazes de intensificar as ações e os resultados de um e-commerce.

É preciso estar atento às estratégias e elaborar um bom planejamento. Mais do que simplesmente tomar ações, é necessário monitorar e gerenciar o seu e-commerce, identificando as melhores práticas, que trazem resultados mais expressivos e o retorno financeiro de cada ação.

As estratégias do marketing digital possibilitam elevar a sua marca, aumentando expressivamente a visibilidade, ganhando credibilidade e um lugar de destaque no mercado.

Como dica, estude e aplique o inbound marketing, utilize a estratégia de e-mail marketing, esteja presente nas redes sociais, otimize o seu site para as buscas orgânicas com as técnicas de SEO e invista em um site responsivo. Seguindo essas dicas, certamente você terá sucesso com o marketing digital, aumentando as vendas e a lucratividade do seu negócio.

Gostou do nosso guia completo sobre as estratégias de marketing digital? Então, se você realmente quer alcançar o sucesso, confira nosso artigo sobre as principais métricas de e-commerce que você precisa monitorar.

Deixe seu comentário

Equipe Atlas

Democratizando a Business Intelligence com Atlas.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. 1 de junho de 2017

    […] O guia avançado de marketing digital para e-commerce […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *